Instrumentos Musicais em Família

Ana Maria N. Gorski Damaceno


O leitor talvez irá estranhar o título do artigo e mesmo pensar que seria mais correto usar “Instrumentos Musicais na Família” em vez de “..em Família”. Desta vez,  porém, o que desejamos enfatizar em principio, é o valor do estudo de instrumentos musicais “em”grupo e a influência do trabalho musical “em” equipe.

Na verdade os instrumentos musicais estão intimamente ligados com a família. Por sinal, numa orquestra os instrumentos estão divididos em vários grupos, os quais muitas vezes utilizamos os seguintes termos para denominá-los: Família de Cordas, Família de Metais, Família de Madeiras e Família de Percussão.

Um grande número de instrumentistas executando vários grupos de instrumentos musicais normalmente chamamos de orquestra sinfônica quando os músicos são pagos para tocar e, orquestra filarmônica, quando os músicos não recebem ( a origem desta é fácil de se entender: é só lembrarmos do vocábulo filantropia). Um pequeno grupo de instrumentos, geralmente denominamos de orquestra de câmara. Este ultimo grupo pode ser constituído de uma só família de instrumentos ou de vários instrumentos de diferentes famílias.

O instrumentista quase sempre convive com indivíduos de varias classes sociais recebendo muitas vezes o exemplo e o incentivo de uns, também prestando ajuda e alegria à outros. Quando o mesmo executa em conjunto, com seus dotes musicais através de seu instrumento o músico tem um gesto até louvável – o espírito de colaboração na execução de uma obra musical.

Passo a passo, o instrumentista quando toca e pratica em conjunto, adquire mais e mais o hábito de compreensão e disciplina, deixando de lado sua vaidade pessoal e respeitando seus colegas instrumentistas. Passa a receber o resultado que acontecerá quando o seu grupo instrumental ou orquestral obterá na execução de uma peça musical. Ao mesmo tempo, aumenta seus conhecimentos musicais adquirindo a capacidade de apreciar e criticar músicas de nível mais elevado, bem como passa a discernir o nobre do vulgar. Sendo assim poderá com seus dotes auxiliar a sociedade bem como sua própria família no lar.

É muito natural que um individuo que deseje tocar em grupo necessite de um estado preparatório. Normalmente se aprende um instrumento musical em aulas particulares, quando os familiares ou os outros patrocinam, pois este estudo deve-se começar quando a criança já tem uma formação adequada para o instrumento que deseja tocar. Infelizmente uma criança ou adolescente deixa de continuar seus estudos por condições econômicas e o pior, por falta de motivação. Esta última falha ocorre na maioria das vezes por falta de psicologia dos instrutores, sistema errôneo de ensino, excesso de matérias curriculares nas escolas e inúmeros fatores. Cientificamente foi comprovado que uma das maiores desmotivações no estudo de um instrumento é quando o aluno estuda e pratica sozinho. O mesmo individuo na maioria das vezes torna-se tímido, solitário ou, ao contrario, pode se tornar um egocêntrico com vaidade exagerada.

Há pessoas que estudam somente um instrumento solista, isto é, que não depende de um acompanhamento, tais como: piano, órgão, cravo, acordeon, e o atual teclado. Sugere-se que estas pessoas estudem um instrumento que possa ser tocado em conjunto ou mesmo cantar em coral. Normalmente aconselha-se o estudo de flauta doce, por ser um instrumento musical (e não um brinquedo, como muitos pensam) de fácil poder aquisitivo que estimula o individuo a participar de uma orquestra de flautas – doce, bem como facilita um rápido aprendizado da maioria dos instrumentos de sopro da família de madeiras como saxofone, oboé, clarinete e outros.

Com essas virtudes o individuo, alem de ser um solista, será capaz de ser também um camarista ou membro de uma orquestra. Geralmente, um solista executa uma obra juntamente com vários instrumentos. A esta obra costuma-se denominar “concerto”. Esta palavra de origem latina vem do verbo “concertare” significando uma competição saudável entre instrumentos de varias famílias tocando em conjunto ou intercalando com o solista.

Muitas vezes nos perguntam: “o que é um concerto?”. A resposta é muito simples. Todos nós sabemos que em geral um jovem e uma jovem ao tomarem um compromisso matrimonial fazem uma aliança, ou seja, um concerto entre eles de viverem juntos. Um concerto musical nada mais é do que um compromisso com as pessoas que tocam em equipe seus instrumentos musicais sempre procurando uma harmonia que os agrade para transmitirem aos ouvintes o melhor possível ao interpretarem a obra musical de um compositor.

Se uma orquestra não deixa de ser uma família porque não aproveitarmos os talentos escondidos dos amigos e familiares que já executam algum instrumento (ou mesmo incentivá-los a estudar um deles) e formar a sua própria orquestra de câmara?  

“A família que toca unida, permanece unida”.

 

Loading
Criar um site